Optical Image Stabilization Panasnic
-

Estabilizador de imagem: a chave para uma boa fotografia

Optical Image Stabilization Panasnic

Muitos são os fatores a ter em conta quando estamos a fotografar para conseguir uma imagem nítida e que não precise de muita edição. As câmaras com estabilizador de imagem podem ser uma boa aposta, visto que ajudam a garantir maior nitidez e a evitar as fotos tremidas que tanto odiamos.

Apesar de por si só o estabilizador de imagem não ser a única forma de se obter uma fotografia nítida e focada, esta ferramenta pode ser um verdadeiro recurso para levar o seu talento na fotografia mais longe.

Vamos perceber melhor o que é o estabilizador de imagem

A estabilização de imagens é uma tecnologia inserida no corpo da câmara fotográfica ou nas suas objetivas, com o objetivo de corrigir ou anular os movimentos tremidos que se dão durante a captação de um momento com a câmara na mão. Através deste recurso, passa a ser possível utilizar velocidades de obturador mais lentas na hora do clique.

O estabilizador de imagem reduz a desfocagem das imagens associadas ao movimento da câmara durante o momento de exposição. É usado em câmaras fotográfica e de vídeo, binóculos e mais recentemente smartphones.

As imagens tremidas são um problema particularmente comum quando utilizamos uma velocidade de obturação mais lenta ou quando fazemos zoom nas lentes e o estabilizador de imagens pode tentar contornar esta questão.

No entanto, esta ferramenta não remove os movimentos, ela atenua os gestos que fazem com que a imagem fique mais tremida, aperfeiçoando o desempenho da máquina fotográfica. Isto quer dizer que, para conseguir fotografias nítidas, tem mesmo assim que ter em consideração que precisa de segurar a câmara numa posição firme.

Estabilizador de imagem na objetiva VS no corpo da câmara

Marcas como a Canon, Nikon, Sigma e Tamron contêm o estabilizador de imagem diretamente nas objetivas, o que se traduz numa maior eficiência a fotografar, já que o estabilizador foi concebido especificamente para aquele dispositivo, assim como num preço mais elevado e em mais peso da objetiva.

Já outras marcas como a Sony, Olympus e Fujifilm optaram por adicionar o estabilizador de imagem diretamente no corpo da câmara – ou no sensor -, o que significa que este é adaptável a qualquer objetiva, que pode usufruir deste instrumento. As objetivas sem estabilizador de imagem são geralmente mais económicas e menos pesadas.

Um facto é que tem havido uma tendência crescente para a conceção de câmaras digitais amadoras que já possuem esta tecnologia, enquanto que, no passado, esta ferramenta era apenas destinada a câmaras, lentes e fotógrafos profissionais ou binóculos mais desenvolvidos.

De acordo com a Panasonic, o melhor sistema de estabilização é o ótico (Optical Image Stabilization, como lhe chamou a marca japonesa), em que os componentes como a lente ou o sensor são deslocados para remediar e corrigir os movimentos tremidos do fotógrafo.

Quando devemos desligar o estabilizador?

O estabilizador é utilizado quando estamos a gravar ou fotografar com a máquina fotográfica na mão, e por norma ele deve estar ligado nestes momentos. Mas por que razão haveria de desligar uma ferramenta que é suposto ajudá-lo? De facto, existem alturas em que devemos prescindir de ter esta função ativada e vamos explicar-lhe porquê.

O estabilizador de imagem deve ser desligado quando, por exemplo, queremos fotografar imagens com alta velocidade, tais como carros em movimento, pessoas a correr ou a dançar, etc.

Outra ocasião para não usar esta função é quando estamos a utilizar outros equipamentos para estabilizar a imagem, tais como um tripé ou um controlo remoto. Estes objetos têm a vantagem de reduzirem por si só a trepidação quando gravamos, pelo que também resolvem o problema.

Mas o que aconteceria se tivesse o estabilizador ligado ao mesmo tempo que utiliza o tripé? Provavelmente não ficaria muito satisfeito com o resultado da sua captação: a fotografia iria ficar sem nitidez dado que o estabilizador iria tentar eliminar o movimento (que já era quase nulo).

Sugestões para contornar o problema das imagens tremidas

Caso não possua uma máquina com estabilizador de imagem, um opção segura – e talvez mais económica -, é optar por um estabilizador físico como o tripé, o monopé ou o famoso selfie stick. A única desvantagem desta opção, face a usar o estabilizador da própria câmara, é que tem que carregar com os acessórios, para além da máquina fotográfica.

Por outro lado, caso não possua nem queira investir em nenhuma destas opções, pode sempre optar por editar os clips – no caso do vídeo -, em programas de edição como o Adobe Premiere, que possui o efeito Wrap Stabilizer especialmente concebido para resolver este tipo de problemas.

Ao aplicar o WS a um vídeo tremido, o programa automaticamente suaviza os movimentos bruscos da imagem e o resultado final é muito mais apelativo do que o frame original.

Agora que já sabe como funciona o estabilizador de imagem, cabe-lhe a si optar pelo caminho que considere mais adequado para melhorar as suas capacidades fotográficas e levar as suas imagens até ao próximo nível.

http://rptech.ciberia.com.br/a-importancia-de-um-tripe-para-obter-fotos-de-qualidade/

[sc name=”assina”]