Computador desktop ou portátil: qual a melhor opção?

Quando se pondera adquirir um computador novo, a primeira dúvida é desktop ou portátil? Desde a configuração de cada um, passando pela portabilidade, possibilidade de atualizações e ergonomia, vejamos quais os fatores que podem influenciar a sua decisão.

A variável mais importante na tomada de decisão é, obviamente, a sua necessidade e o uso que vai dar ao equipamento. Há certos casos em que um PC desktop faz mais sentido e outros em que um portátil é uma escolha melhor.

Por exemplo, um gamer terá sempre mais rendimento com um PC desktop. Mas se a portabilidade for um problema e precisar de transportar o seu computador, um portátil é a solução para si. Hoje em dia, muitas pessoas trabalham remotamente e a maioria prefere ter um portátil para não ficarem vinculadas a um local.

Vejamos quais os critérios que deve ter em consideração antes de se decidir pela compra de um PC desktop ou um computador portátil.

 

Instalação e configuração

Um PC desktop exige um local destinado — uma mesa ou secretária — e uma configuração inicial, embora esteja longe de ser complexa. Basta ligar o computador e o monitor a uma fonte de alimentação e depois conectar o teclado, rato, impressora e os restantes periféricos, os quais podem ser wireless, caso não goste de se ver rodeado de fios.

Já para um portátil apenas terá de pressionar o botão de ligar e desligar, desde que a bateria esteja carregada. Mais simples seria difícil.

Em termos de requisitos de energia, o PC desktop precisa sempre de estar conectado para funcionar e, no caso de um blackout, ficará sem nenhuma hipótese de o manter ligado. Já um portátil, enquanto tiver bateria, continuará a funcionar, o que é uma vantagem.

Portabilidade

Este é o fator óbvio de distinção entre os dois equipamentos, mas é um em que tem de ponderar antes de tomar uma decisão. Se considera que pode ser útil ter um aparelho que pode ser transportado para qualquer lugar, então um computador portátil é o ideal para si. Se nunca vai precisar de o mover, então opte pelo PC desktop.

 

Atualizações e melhorias

Os PCs desktop podem ocupar um pouco de mais espaço, devido à torre, mas depois terá a vantagem de adquirir os periféricos e hardware que bem entender, mudando-os conforme quiser e até apostar em atualizações à medida que estas forem saindo, como apenas adquirir um monitor porque já não está satisfeito com o tamanho, resolução ou taxa de atualização, por exemplo, em vez de substituir todo o equipamento.

Se quiser melhorar o desempenho do seu computador é muito fácil atualizar um PC desktop, uma vez que foram projetados de forma a facilitar a troca de componentes. Neste aspeto, um PC desktop pode manter-se atualizado (a nível de hardware) durante mais tempo, até porque é possível trocar a placa gráfica, o processador, colocar mais memória RAM, …

Este fator é também uma vantagem relativamente a possíveis avarias, visto que num PC desktop é possível trocar os componentes enquanto um portátil, regra geral, tem esses elementos todos onboard, ou seja, a avaria de um elemento pode implicar a substituição de vários.

Com um portátil, é certo que até o pode conectar a um segundo monitor, mas para muitos outros componentes — placas de vídeo, placa de rede, memória RAM, entre outros — estará “preso” aos originais do equipamento ou, no mínimo, algo limitado no que se refere a capacidade de atualização. Uma vez que os portáteis foram projetados para serem o mais compactos possível, nem todas as peças podem ser substituídas.

Esta questão aplica-se não só para atualizações e melhorias, como também para reparos. Reparar uma peça avariada pode não justificar o preço.

Para os gamers

Na grande maioria dos casos, um gamer terá mais rendimento num PC desktop do que num portátil, particularmente num PC gaming — embora também existam portáteis dedicados a esse fim.

A questão prende-se com a refrigeração. Jogar exerce elevada pressão sobre o equipamento, levando-o a aquecer e, por vezes, a entrar em overclock (trabalhar no limite). Se não tiver arrefecimento eficaz — mais ventoinhas —, estraga-se. Os desktops, por design, permitem incluir mais ventoinhas.

 

Ergonomia

O conforto na utilização de um equipamento nunca deve ser descurado. O teclado e o rato independentes de um PC desktop podem ser mais agradáveis para algumas pessoas do que o teclado interno e o trackpad de um portátil. Já para não falar, como já foi referido num ponto anterior, de que pode sempre substituir esses periféricos num PC desktop, só mesmo por uma questão de gosto.

Para além disso, é importante observar que o uso de uma área de trabalho permite definir a altura do monitor de forma a reduzir a tensão no pescoço, o que pode ser problemático para quem passa muitas horas em frente ao ecrã, o que não pode fazer com um portátil.

 

Veredito final

No final, a escolha irá sempre recair sobre as suas necessidades de utilização e preferências pessoas, uma vez que, tanto no caso dos PC desktop como no dos portáteis, há modelos para todos os gostos e para todos os orçamentos.

[sc name=”assina”]