Como escolher um mini-forno? As características em que deve atentar

Como escolher um mini-forno? As características em que deve atentarEstá a ponderar adquirir o seu primeiro mini-forno ou substituir aquele já velhinho que tem em casa? Com tanta oferta existente no mercado, pode ser difícil saber como escolher. Neste artigo vamos expor as características a que vai querer estar atento antes de tomar a sua decisão.

Há vários eletrodomésticos que se tornaram indispensáveis na cozinha de hoje. O frigorífico e o fogão são as escolhas mais óbvias, mas há outros que também se relevam essenciais, como é o caso do forno e do micro-ondas.

Regra geral, o forno não é propriamente um eletrodoméstico pequeno, ocupando um espaço considerável que nem todas as cozinhas têm. Por outro lado, o micro-ondas pode não corresponder a todas as necessidades. É nestas situações que o mini-forno se assume como uma alternativa.

[sc name=”VP” url=”https://www.radiopopular.pt/categoria/mini-fornos-2/?utm_source=RPT” ]

Com mais funcionalidades do que alguns micro-ondas e num tamanho mais pequeno do que um forno, apesar de oferecerem muitas das mesmas funcionalidades, os mini-fornos são eletrodomésticos muito úteis e têm vindo a ganhar popularidade. Se está a pensar em adquirir um, aqui estão algumas informações que o poderão ajudar a fazer uma boa escolha.

 

O que é um mini-forno?

Um mini-forno, tal como o nome indica, é um pequeno eletrodoméstico de cozinha. Em termos de aspeto, tanto pode assemelhar-se a um forno em miniatura ou a um micro-ondas — ou até pode nem ter nada a ver, como as populares “patuscas“.

Como escolher um mini-forno? As características em que deve atentar

Funciona a eletricidade e costuma conter uma porta frontal que pode ser aberta para baixo ou para os lados — dependendo do modelo. Esta ferramenta pode ser muito útil para confecionar pizzas ou bolos, torrar fatias de pão, e muito mais.

 

Como escolher um mini-forno

Dimensões

Apesar de todos os mini-fornos serem relativamente pequenos, ainda existe alguma variedade de tamanhos entre os modelos. É certo que sendo um aparelho compacto, não será difícil inseri-lo na bancada da cozinha, mas será sempre prudente medir o espaço onde pretende colocá-lo, para evitar surpresas.

Assim, antes de adquirir o seu mini-forno faça medições para conhecer o espaço máximo que este eletrodoméstico pode ocupar confortavelmente na sua bancada, garantindo que ainda terá bastante espaço para cozinhar. Depois é só escolher aquele que se enquadra em termos de altura, largura e profundidade. Certifique-se de escolher um local na sua cozinha que tenha uma tomada próxima.

Capacidade interior

As dimensões interiores do mini-forno, ou a sua capacidade, ditam a quantidade de alimentos que podem ser confecionados ao mesmo tempo e não estão necessariamente relacionadas com as dimensões exteriores. Normalmente medidas em litros, tanto podem ser de 5 Lt como de uns incríveis 70 Lt.

Quando estiver a indagar a capacidade, considere as necessidades de sua casa. Se cozinha apenas para si e uma outra pessoa irá precisar de um mini-forno bastante mais pequeno do que para alimentar uma família de seis membros todos os dias.

Regulador de temperatura

Regra geral, há duas opções no que se refere à regulação de temperatura de um mini-forno: o regulador é mecânico ou eletrónico. O primeiro, embora mais simples e tradicional — o que agrada a muitos consumidores —, é mais limitado e tem margem de erro de até 10 graus. Já o segundo é mais preciso, sendo possível definir a temperatura unidade a unidade.

Funcionalidades

Verdadeiramente, um mini-forno só precisa de oferecer as três funções básicas: assar, torrar e aquecer. Ao fazer ajustes no posicionamento da prateleira e na temperatura, poderá cozinhar quase tudo com apenas estas três funções.

Como escolher um mini-forno? As características em que deve atentarNo entanto, estes eletrodomésticos podem oferecer muitas outras funcionalidades, as quais podem ser muito úteis dependendo se lhes daria ou não utilidade. Dependendo da marca e do modelo podem ter denominações e formas de funcionar diferentes.

Reaquecimento: esta função é perfeita para as sobras e deverá usar uma temperatura média-baixa para reaquecer sobras de alimentos sem as secar ou escurecer.

Cozedura lenta: quase como que a imitar uma panela elétrica, o mini-forno poderá funcionar em baixa temperatura por um longo período de tempo definido.

Desidratar: a ventoinha e temperatura baixa são usadas ​​para secar ervas, frutas e outros alimentos por um longo período de tempo. Há muitas vantagens na desidratação de alimentos.

Dual Cooking: duas funções de cozedura e de temperaturas trabalham em conjunto para uma só sessão, ou seja, pode definir a função Assar em 180ºC durante 45 minutos e depois Cozedura lenta por 30 minutos.

Air-Fry: a ventoinha e temperatura alta são usadas ​​para tostar e dourar rapidamente os alimentos. Esta função é particularmente indicada para itens congelados que se pretendem crocantes.

Vapor: os mini-fornos com esta função incluem um reservatório de água que permite cozinhar no vapor, escalfar alimentos ou até confecionar pão artesanal tal como na padaria.

Recursos

Há funcionalidades extra que diferenciam os mini-fornos. Antes de mais a luz interna e a intensidade da mesma: quão bem consegue ver para dentro do eletrodoméstico sem abrir a porta? Será agradável conseguir averiguar o estado da sua comida sem reduzir drasticamente a temperatura interna do mini-forno e atrasar a confeção — que é o que acontece quando tem que abrir a porta. Um ecrã LCD pode tornar mais apelativo a exibição de funções e configurações de temperatura.

Mini-forno SeverinUm temporizador que anuncia o fim do tempo de cozimento — e, em alguns casos, o final do ciclo de pré-aquecimento também — pode revelar-se muito útil. O mesmo se incluir a possibilidade de desligar automaticamente após o tempo de cozedura definido.

Alguns mini-fornos oferecem bandejas adicionais que permitem cozinhar vários níveis de comida ao mesmo tempo, o que aumenta a capacidade do equipamento. Uma delas pode ser uma bandeja de migalhas removível que fica no fundo do mini-forno e facilitam a limpeza, uma vez que evitam a libertação de fumo e odores queimados durante a cozedura.

Poder colocar as bandejas em diferentes posições traduz-se numa maior adaptação ao que pretende cozinhar. Outro recurso interessante é a bandeja de ejeção automática, que avança automaticamente para a frente quando abre a porta do mini-forno.

Outra possibilidade interessante e talvez mais incomum é de assar na forma de espeto. O equipamento girará lentamente o espeto para cozinhar uniformemente.

Um revestimento interno antiaderente para facilitar a limpeza ou até limpeza automática são recursos que facilitam bastante o dia a dia na cozinha e não devem ser descurados.

Design

Pode não ser um fator que faça diferença no funcionamento, mas a estética de um eletrodoméstico pode ser importante e não há motivo para a descartar.

Alguns mini-fornos têm designs muito irreverentes, com diversas cores e estilos à disposição dos gostos de cada um. Escolha aquele que mais lhe agrada e combina com a restante decoração da sua cozinha.

 

No meio de tantas considerações, o truque é escolher aquele cujas funcionalidades lhe vão ser realmente úteis no dia a dia, bem como que corresponda às suas necessidades e preferências específicas. Esperamos que este artigo tenham ajudado. Ficou algo por dizer? Diga-nos nos comentários!

[sc name=”assina”]