Chrome ou Firefox: qual o melhor navegador da web em 2021?

Chrome ou Firefox: qual o melhor navegador da web em 2021?

Esta é uma batalha entre dois dos navegadores da web mais usados do mundo: Google Chrome e Mozilla Firefox. Qual deles é o melhor? Há um claramente superior em relação ao outro? Vejamos em que características cada um se distingue para que possa tomar a sua decisão.

É necessário considerar vários aspetos antes de decidir qual navegador escolher. O Firefox existe há muito mais tempo do que o Google Chrome, mas o Chrome tem sido dominante desde sempre, com 65% dos utilizadores, enquanto o Firefox tem apenas 10%.

Seja para um PC Windows ou para macOS, vejamos as características que compõe um navegador e como escolher.

 

Chrome ou Firefox: em qual navegador apostar?

User interface (experiência do utilizador)

O primeiro impacto quando usamos um navegador é a interface, literalmente a página que aparece à nossa frente como utilizadores. Recentemente, tanto o Mozilla Firefox quanto o Google Chrome fizeram mudanças significativas que elevam a experiência.

O Firefox parece muito simples e direto. Não será difícil para ninguém adaptar-se rapidamente às diferentes funções e recursos disponíveis neste navegador.

A gestão dos separadores é uma das muitas coisas que o Firefox aperfeiçoou. O utilizador pode gerir várias tarefas simultaneamente. Os grupos de separadores são essenciais para uma interface de utilizador de elevada qualidade.

Este navegador está equipado com a possibilidade de scroll horizontal, o que auxilia no processo de navegação. Caso contrário, teria de minimizar o zoom no ecrã para poder visualizar toda a página web.

O Google Chrome tem muitos aspetos semelhantes. A gestão dos separadores e de marcadores favoritos é uma característica muito forte neste browser.

Ainda melhor, é a ‘pesquisa inversa de imagens‘: pode clicar com o botão direito do rato numa imagem e pesquisá-la no Google.

A principal desvantagem do navegador Chrome é que não oferece scroll horizontal, ao contrário do Firefox. Pode não ser um aspeto muito importante, uma vez que muitos dos atuais desenvolvedores já têm isso em consideração, devido à grande fatia de mercado que o Chrome tem.

As opções extras disponíveis no Firefox, exibidas no ecrã inicial, não são consideradas úteis por muitas pessoas, que consideram mais confortável navegar e interagir com o Google Chrome. Assim, o Google Chrome vence a batalha entre os dois browsers no que se refere à experiência do utilizador.

Velocidade e desempenho

Depois da interface, que é, de certa forma, o cartão de visita de um navegador, o que é que toda a gente procura? É a velocidade. No mundo online, o tempo de resposta é rei.

O navegador, tal como qualquer aplicação, usa a RAM do sistema. Quanto mais usar, menos espaço deixa para outros programas em segundo plano. Se tiver um equipamento mais antigo, pode mesmo ficar mais lento.

O Google Chrome usa significativamente mais RAM durante a sua execução do que qualquer outro browser, até os temas exigem bastante da memória RAM, mesmo que não estejam a ser usados.

Já no Firefox a recuperação de dados e os intervalos de resposta são bastante rápidos. Este é o navegador mais recomendado para quem trabalha com vários separadores abertos ao mesmo tempo e até consegue restringir o uso de RAM até certo ponto. O desempenho deste browser é melhor em computador do que em dispositivos móveis, no entanto.

O Firefox pode ser melhor na gestão de tarefas e no consumo de RAM, ao mesmo tempo que oferece respostas muito rápidas e possibilidade de multitasking. Feitas as contas, a versatilidade deste navegador permite-lhe triunfar em velocidade e desempenho.

Assim, apesar de o Chrome e o Firefox estarem quase ao mesmo nível, no que se refere a velocidade e desempenho, é o Mozilla Firefox que leva o troféu para casa.

Recursos e opções

Os recursos e as opções ‘extra’ são, muitas vezes, o que faz a diferença quando temos que optar entre o que quer que seja, e o mesmo se aplica a navegadores. Adicionar recursos novos e interessantes é a base para qualquer programa se manter interessante aos olhos do público.

Da mesma forma, quando um navegador da web fornece extensões, opções de personalização, recursos de sincronização e outros recursos secundários, este torna-se mais completo e, como tal, mais apelativo.

Há muitos recursos interessantes presentes no Firefox dos quais provavelmente ainda não ouviu falar. Este browser fornece atualizações diárias sobre tópicos de artigos sugeridos, mantém o utilizador envolvido e informado sobre o próprio navegador, e o modo noturno e o leitor de QR também estão disponíveis, o que facilita muitas tarefas.

Ao lidar com o Chrome, os recursos e opções não são menos do que com o Firefox. O Google possui aplicações que podem ser integradas, como Gmail, Google Docs, Google Translate, entre outras. Como já há vários utilizadores para estas plataformas, o Chrome facilita o acesso a várias contas numa plataforma web.

Ambos os navegadores permitem que escolha entre vários temas de forma a personalizar a aparência, no entanto, o Firefox é mais personalizável do que o Chrome, uma vez que tem mais recursos que elevam a experiência do utilizador.

Apesar de este tópico ser algo subjetivo — a preferência pessoal de cada utilizador poderá ter a palavra final —, o Mozilla Firefox vence esta corrida.

Suporte para extensões

Compatibilidade com extensões é um fator importante na experiência do utilizador com navegadores da web. Tanto o Google Chrome como o Mozilla Firefox têm as suas próprias lojas de extensões, entre as quais o user pode escolher e adicionar ao navegador, de forma a acrescentar recursos que não estão prontamente disponíveis.

O Firefox é extremamente cuidadoso ao adicionar qualquer extensão na sua loja, limitando as que são hospedadas remotamente. Levam a cabo um processo de revisão muito exigente antes de disponibilizarem o que quer que seja para o público, o que ajuda a evitar muitos riscos, mas, por outro lado, torna todo o processo menos eficiente para os utilizadores.

Já o Chrome não entra em processos deste género e oferece respostas rápidas mesmo quando mais extensões são adicionadas.

Não importa tanto a quantidade de extensões que um navegador pode oferecer simultaneamente, mas sim a funcionalidade que estas trazem. Nesse aspeto, o Chrome com menos extensões oferece mais funcionalidade, enquanto o Firefox parece conseguir oferecer maior quantidade, mas não oferece a mesma funcionalidade do Chrome.

Assim, no que se refere a suporte para extensões, é o Google Chrome que vence esta corrida, com um vasto banco de dados colocado à sua disposição.

Privacidade e segurança

O tópico final é a capacidade do browser de proteger os seus dados e manter a sua privacidade. Gastamos várias horas por dia online e, nesse período, muito do que fazemos implica o uso de navegadores e aplicações várias. Portanto, é essencial verificar o status de segurança do navegador escolhido. Todas as medidas devem ser tomadas no sentido de protegermos as nossas informações pessoais num espaço tão incerto como a Internet.

O Firefox oferece muitos complementos que aumentam o seu nível de segurança. Já o Chrome recorreu inicialmente à proteção de dados da Google e, mais tarde, outras extensões surgiram. O primeiro já mostrou saber lidar com problemas de segurança, mas surgem algumas dúvidas nas questões de privacidade.

De forma a tornar-se mais seguro, o Firefox adicionou algo chamado ‘senha mestra’, a qual funciona como um escudo para todas as suas contas que são sincronizadas com o navegador.

Toda a criptografia oferecida pelo Firefox já está instalada no Google Chrome. No entanto, atualizações regulares e frequentes do Google tornam o número de lacunas no código muito pouco frequentes.

O Chrome tem feito consideráveis esforços no sentido de melhorar no campo dos recursos de segurança e proteção. Se o utilizador tentar aceder a uma ligação na Internet que parece pouco segura, receberá um aviso, um recurso que não está disponível no Firefox, por exemplo.

No entanto, o vencedor desta categoria é o Mozilla Firefox por guardar dados. Muitos recursos fazem este navegador destacar-se.

 

Veredito final: Google Chrome ou Mozilla Firefox?

A interação direta e os recursos oferecidos devem ser considerados, uma vez que afetam bastante a experiência de navegação. Manter sites prejudiciais afastados e bloqueadores de anúncios ativados é uma obrigação para todos os navegadores da web.

O Google Chrome é um navegador personalizado integrado aos produtos do Google, enquanto o Mozilla Firefox é um navegador centrado na privacidade, destinado a realizar tarefas sem ser rastreado. Em termos de recursos, suportes e extensões, estão ambos no mesmo patamar. Mas, quando se trata de desempenho geral e utilização de memória, o Firefox é melhor.

O Chrome torna o fluxo de trabalho muito mais simples e acessível. Apesar de ser uma batalha renhida, este é o browser que sai vitorioso na batalha ‘Google Chrome versus Mozilla Firefox’.

Dito isto, é importante que também considere a existência de outros navegadores. Se é uma pessoa que precisa de privacidade e precisa de realizar várias tarefas sem comprometer o desempenho do sistema, escolha o Mozilla Firefox. Por outro lado, se o que procura é produtividade e facilidade de navegação, mesmo que isso signifique comprometer ligeiramente o desempenho do sistema, então escolha Google Chrome.

Esperamos que esta comparação muito completa o faça ter outra perspetiva sobre estes dois navegadores. No final do dia, depende da preferência pessoal de cada um. Qual deles vai escolher?

[sc name=”assina”]