Chaleira Red Pyramid da Morphy Richards
-

Chá perfeito: cinco truques para fazer o seu

Morphy Richards: chaleira para um chá perfeito

O chá é das coisas mais simples que preparamos na nossa cozinha. Mas será assim tão simples? Com alguns pequenos gestos pode aprimorar a preparação desta bebida e ter uma experiência ainda mais agradável. Siga estes 5 truques para obter o chá perfeito.

Mais do que uma bebida, o chá é um momento em si mesmo. É um instante de sossego durante a tarde, é uma altura de repouso enquanto passamos por alguma maleita, é a oportunidade de acalentar o corpo nos dias de inverno, ou, pelo contrário, de o refrescar — se for chá gelado — dos dias mais quentes.

Uma bebida normalmente subestimada, o chá pode ser saboreado em qualquer altura. Os sabores disponíveis são imensos. Toda a dedicação das pessoas envolvidas no cultivo do chá deve ser valorizada no momento de o tomar, para que tire o melhor proveito possível. Verá que é fácil se seguir estas dicas.

 

Chá versus Tisana

Às vezes ouvimos falar na palavra tisana e não temos a certeza do que significa. Chá e tisana não é bem a mesma coisa. Antes de avançarmos com os truques para um chá excelente, é pertinente distinguir os dois.

Chá

O chá é uma bebida que se obtém através da infusão de folhas, flores e raízes da planta do chá — denominada Camellia Sinensis, nativa do leste da Ásia.

A imensa variedade de chás deriva das variações no local de cultivo desta planta, do processo da apanha, desidratação, oxidação e, por fim, que outras plantas, frutos, ou especiarias são adicionados — por exemplo, o chá verde é chá que não foi oxidado, enquanto que o chá preto foi.

Tisana

Ervas, frutos, raízes, cascas, folhas: praticamente qualquer vegetal pode ser infundido em água quente para criar uma tisana, também apelidada de chá de ervas, embora essa denominação não seja a mais correta.

As misturas são uma prática comum, mas se contiver folhas da planta do chá, então o produto final pode ter o nome ‘chá’ e não ‘tisana’, como chá verde com limão ou chá preto com especiarias.

 

As dicas

Agora que já compreendemos a diferença, é provável que queira saber a melhor forma de fazer um chá. Temos 5 dicas para si.

[su_dropcap class=”dropcap”]1[/su_dropcap] Ingredientes frescos

Em qualquer tipo de preparação alimentar, os ingredientes que usa fazem toda a diferença. No caso do chá não é diferente. Ainda por cima só tem dois — ou mais, já lá vamos — ingredientes com que se preocupar.

Comece por usar água saída da torneira ou da garrafa, preferencialmente que não tenha estado em contacto com o ar desde há muito tempo. Da igual modo, use cápsulas, sacos ou ervas de chá de boa qualidade, e que tenham estado devidamente armazenados.

Prefira ervas a granel ao invés do saco. Apesar de este ser muito prático, não oferece  toda a riqueza de nutrientes, aromas e óleos essenciais que as ervas puras possuem. Assim, os sabores e as sensações que vai experienciar vão tornar a sua experiência mais completa.

[su_dropcap class=”dropcap”]2[/su_dropcap] Temperatura da água

A água que é adicionada deve estar bem quente, mas não a ferver. Se tiver uma chaleira — qualquer verdadeiro amante de chá tem que ter uma — a água fica no ponto quando começar a chiar: significa que está perto de ferver, mas ainda não começou. Se usar outra forma de aquecer a água, tal como um jarro elétrico — eficaz e económico — deve deixar ferver e deixar repousar um minuto.

Se quisermos ser ainda mais minuciosos, podemos realizar a infusão de cada chá à sua temperatura ideal. Para o chá, será entre 70ºC a 85ºC. Para o chá verde situa-se entre os 60ºC e os 80ºC. O chá amarelo prefere a temperatura dos 70ºC aos 75ºC graus e o chá preto a 90ºC. Já as infusões de ervas podem ser realizadas a 100ºC.

[su_dropcap class=”dropcap”]3[/su_dropcap] Tempo de infusão

Cada chá e cada tisana tem o seu tempo ideal de infusão. À falta de melhor, estipula-se que 3 minutos é uma boa medida para um chá perfeito e 6 minutos para as tisanas. Em caso de dúvida, deixe repousar um pouco mais.

Não há nenhuma vantagem em deixar ficar o saco de chá dentro da caneca ou do bule.  A única desvantagem de abusar no tempo de infusão é que alguns chás ganham um certo amargor quanto mais tempo estiverem na água. Os benefícios do chá, no entanto, não se perdem.

[su_dropcap class=”dropcap”]4[/su_dropcap] Servir em canecas de porcelana

O chá perfeito quer porcelana. Barro vidrado, vidro ou aço inoxidável também cai bem. Há que evitar plástico, porque é um material que não aguenta tanto a temperatura e pode alterar o sabor da sua bebida — e não para melhor. Deve servir o chá em bule ou diretamente nas canecas ou chávenas com os sacos de chá lá dentro.

[su_dropcap class=”dropcap”]5[/su_dropcap] Aditivos: conforme os gostos

Há quem prefira o chá simples, para saborear todo o seu sabor original, há quem não. Se é dos que gosta de adicionar alguma coisa ao chá, saiba que deve fazê-lo depois de deitar o chá na chávena e de lhe dar um minuto para repousar.

Açúcar é o aditivo mais comum, mas natas também resultam num chá delicioso. Se procura alternativas mais saudáveis, recomendamos mel. Por fim, um aditivo por vezes esquecido e até mesmo largamente menosprezado. Estamos a falar de umas pingas de leite, claro.

 

Chá: um mundo a descobrir

Camomila e cidreira são sabores muito bons, mas há muitos para além desses mais populares. O mundo do chá tem imensa diversidade, cada qual com propriedades benéficas à espera de serem exploradas.

Esperamos que estes truques o ajudem a preparar o seu chá perfeito de forma a tirar o melhor proveito possível. Mas também esperamos que lhe desperte curiosidade para tomar conhecimento e experimentar novos sabores.

[sc name=”assina”]